• Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Buscar
  • TV PONTUAL

Após 3 meses de espera, menina com câncer tem atendimento recusado


Mãe da criança de 6 anos luta para conseguir tratamento para filha, em GO. Araújo Jorge diz que precisa de relatório de hospital que a tratou antes.


Mãe luta para conseguir tratamento de câncer para filha de 6 anos (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

A desempregada Rosângela Diniz luta para conseguir tratamento para a filha Anne Heloísa, de 6 anos, que sofre de câncer no tórax. Ela conta que se mudou de Campo Grande (MT) para Senador Candedo, na Região Metropolitana de Goiânia, e esperou 3 meses por uma consulta no Hospital Araújo Jorge. Ainda assim, quando conseguiu, teve o atendimento recusado.

“[A médica que atendeu disse que] o caso da neném foi descoberto lá, tinha que ser tratado lá e que ela não iria atender, deu tchau e pronto. [Eu estava com] um monte de exame na mão e ela falou ‘não vou nem olhar’”, relatou a mãe e entrevista à TV Anhanguera.

A Secrtearia Municipal de Saúde de Senador Canedo havia feito o encaminhamento para a unidade de saúde em Goiânia. No entanto, após a consulta, o hospital informou que não aceitaria pacientes sem relatório do que já foi feito.

O Araújo Jorge informou à TV Anhanguera que a Anne Heloísa não está em tratamento, mas em acompanhamento. Segundo o hospital, não é possível iniciar o procedimento sem o relatório médico dela. A unidade orientou a família a pegar o prontuário no hospital onde ela realizou tratamento em Campo Grande.

Dificuldades Ainda conforme a família da paciente, a menina sente dores constantes, precisa de usar fraldas por causa de um sangramento e tomar diversos remédios. Sem emprego, os pais estão com dificuldade de pagar as contas e contam com ajuda dos vizinhos, como Nelbe Nunes da Silva, que pede doações para a família.

“Estão precisando de cesta básica, de remédio, de frutas, que ela tem que comer bastante. Toda doação é bem vinda”, explicou.