PONTUAL_NOTÍCIAS
LOGO_MARCA_GOIÁS_1
1
1
PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTALINA
4
2
ECOPLAST 2
LOGO
3
LOGO
3
1
18
ODONTOMEDY
  • Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Buscar
  • TV PONTUAL

Doria anuncia parceria com rede de fast food e promete 20 mil vagas para moradores de rua


Segundo o prefeito, os selecionados irão passar por um processo de capacitação social e emocional, além de treinamentos para as respectivas funções.


Doria e o presidente do McDonald's no Brasil, Paulo Camargo (Foto: Charles Sholl/Futura Press/Estadão Conteúdo)

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira (17) uma parceria com o McDonald’s para oferecer cem vagas de trabalho a pessoas em situação de rua da cidade. O tucano prometeu empregar 20 mil moradores de rua até o fim deste ano no programa Trabalho Novo, em parceria com empresas da iniciativa privada.

Segundo Doria, os selecionados irão passar por um processo de capacitação social e emocional, além de treinamentos para as respectivas funções. Eles serão contratados perto dos locais de moradia, seja em albergues ou residência própria após o registro.

O presidente da rede de fast food no Brasil, Paulo Camargo, disse considerar a parceria uma das iniciativas mais ousadas que a rede participou. “O mais importante para a gente é ver o sorriso de volta na face desse brasileiro. Esperamos que outras empresas sigam esse exemplo”, disse.

Seis moradores em situação de rua já estão trabalhando na rede e, segundo Camargo, irão receber 10% acima do salário mínimo na posição inicial. O McDonald’s é a segunda multinacional a integrar o programa (a primeira foi a Unilever). Outras empresas, como a Sabesp, Ecourbis, Inova, Guima e G4S já aderiram ao programa. Segundo Doria, a primeira fase do programa deve empregar 5.500 pessoas.

Atendente recém-contratado em um dos restaurantes, Fernando Medeiros, de 36 anos, é pai de cinco filhos e disse ter ficado bastante emocionado quando recebeu a carteira de trabalho assinada. “Eu estou em um albergue e é triste, porque sempre trabalhei. Estava desempregado e infelizmente estava longe da família há algum tempo. Com isso, eu voltei a ser pai, posso ajudar meus filhos e voltei a ter dignidade, que é o mais importante.”

Sorveteiros

Um programa desenvolvido com a empresa Unilever e uma marca de sorvetes também irá oferecer trabalho aos moradores de rua que preferem trabalhar de forma liberal e de acordo com o horário que desejam.

Segundo Doria, esses profissionais irão atuar em praças e parques da cidade. “Nós teremos 2 mil profissionais sendo empregados como microempreendedores. Eles terão uma retirada mínima mensal e uma participação sobre os resultados, treinamento, uniforme, carrinho de sorvete, o próprio sorvete, a matéria-prima que irão comercializar”, disse.