• Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
1.jpeg
Buscar
  • TV PONTUAL

Pais não desconfiavam que namorado tinha matado estudante: 'Difícil acreditar'


Rapaz confessou o crime e foi preso pela Polícia Civil. Ele ajudou durante as buscas e chegou a cobrar mais empenho da corporação em entrevista à TV Anhanguera.


Pais não desconfiavam que namorado tinha matado estudante desaparecida

Os familiares da estudante Letícia Bruna Lopes Santos, de 19 anos, que foi encontrada morta após desaparecer em Aparecida de Goiânia dizem que não desconfiavam do marido da jovem, preso pelo crime. O rapaz foi preso e, de acordo com a Polícia Civil, confessou o assassinato. Overaldo Souza dos Santos, pai da vítima, conta que Lucas Luciano de Sousa Silva, de 21 anos, sempre foi muito atencioso com a filha.

"A gente achava que o relacionamento dos dois era exemplo para todo mundo. Quando a polícia disse que ele que tinha matado minha menina, foi uma traição que veio de dentro de casa, então é difícil de acreditar", desabafou.

Letícia foi encontrada morta em um terreno no setor Oriente Ville,a poucos metros da casa onde morava. A família, junto com o namorado, fez buscas na região e registrou o desaparecimento na polícia afirmando que ela não era vista desde segunda-feira (24). Entretanto, a polícia acredita que ela foi morta no sábado (21), após deixar a casa da família, onde comemorava o aniversário da irmã, de 8 anos. Lucas foi preso e, em depoimento, confessou o crime.

A revelação chocou toda a família. "O inimigo estava ao lado e a gente não sabia", desabafou a mãe da jovem, a cozinheira Ritali Lopes Nascimento.

O casal estava junto há três anos, após se conhecer na igreja. Os jovens eram próximos a todos os familiares da garota, o que aumentou a surpresa da família com o crime. “Ele sempre agiu normalmente, todo mundo tinha um carinho muito grande por ele, ele era atencioso com ela, nunca íamos desconfiar”, disse o padrasto da Letícia, o carpinteiro Leandro da Silva.


Família da estudante Letícia Bruna Lopes diz que não suspeitava que namorado tinha matado jovem em Aparecida de Goiânia, Goiás (Foto: Vitor Santana/G1)

Motivação

Em depoimento à Polícia Civil, o suspeito disse que esganou a mulher enquanto ela dormia por causa de uma traição. “Estou arrependido do que fiz. Só queria pedir perdão e só isso, mais nada. Foi num momento de raiva, de ira”, disse Lucas à imprensa após ser detido.

Entretanto, a família se revoltou com a justificativa dada pelo jovem para cometer o assassinato. “Ela não ia a lugar nenhum sozinha, porque tinha medo de ser assaltada. E ficamos sabendo que, na realidade, quem estava traindo era ele, tanto que a pastora da igreja onde eles iam disse que os dois já não estavam mais dormindo juntos”, explicou a madrasta, a costureira Arlene Nunes Oliveira Souza.

A madrasta também suspeita que a enteada pudesse ter sofrido agressão anteriormente. “Depois que ela morreu, uma amiga dela de trabalho disse que a Letícia estava reclamando de dor nas costas e essa amiga viu um hematoma grande”, contou.


Letícia Bruna Lopes Santos, de 19 anos, foi encontrada morta em terreno próximo de casa (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Investigação

A família havia registrado o desaparecimento da jovem porque não via Letícia desde a noite de segunda-feira (24), quando saiu para ir à faculdade. O marido alegou que tinha visto a esposa no momento em que ela embarcava em um ônibus.

De acordo com o delegado regional de Aparecida de Goiânia, André Fernandes, a versão dele não procedia. "Foi tudo mentira. A gente já tinha elementos demonstrando que era suspeito do crime. Ele foi à delegacia pedir mais empenho na investigação, mas acabou sendo preso e confessando o crime", afirmou ao G1.

Conforme a polícia, o crime ocorreu na casa do casal. “Ela estava dormindo e ele aproveitou da situação e a esganou com as mãos e a asfixiando no quarto”, disse o delegado. Em seguida, colocou o corpo da vítima em um carrinho de mão e levou até o lote abandonado.

Ao ser preso, disse que agiu por ciúmes. “Segundo a versão apresentada por ele, o crime foi por ciúmes, uma possível traição que foi comunicada a ele por meio de uma rede social por uma pessoa que ele tinha colocado para vigiá-la”, explicou o delegado.

Lucas deve responder por homicídio qualificado. "Teve o período para se recuperar da raiva dele, refletir sobre o que estava acontecendo na vida dele, mas ele entendeu por bem tirar a vida dela, da sua esposa", opinou o delegado.