PONTUAL_NOTÍCIAS
LOGO_MARCA_GOIÁS_1
1
3
LOGO
1
  • Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Buscar
  • TV PONTUAL

👮👮AGENTE PRISIONAL E DETENTOS SÃO MORTOS DURANTE REBELIÃO NA UNIDADE PRISIONAL DE LUZIÂNIA


Servidor que trabalhava no local teria sido espancado e morreu em decorrência de parada cardíaca. Outro agente foi baleado na perna


Uma rebelião na unidade prisional de Luziânia que se prolongou durante a madrugada desta segunda-feira (11) resultou na morte de um agente prisional e de três detentos. Outro servidor foi baleado na perna, mas passa bem.

O presidente da Associação dos Servidores do Sistema Prisional do Estado de Goiás (Aspego), Jorimar Bastos, relata que a ocorrência teve início por volta das 1h com uma tentativa de fuga. “Lá eram 328 presos e três vigilantes. Houve essa tentativa de fuga e os agentes tentaram reagir”, afirmou.

Porém, de acordo com uma nota emitida pela Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap), o caso teve início por volta das 23h30, quando um preso simulou que estava passando mal. No momento em que prestavam atendimento, dois servidores de plantão foram rendidos e desarmados pelos presos.

Como resultado da ação dos detentos, um dos servidores foi baleado na perna. Outro foi mantido como refém e espancado. Conforme o presidente da Aspego, em decorrência das agressões, o agente sofreu uma parada cardíaca, que o levou a óbito. Além dele, outros três detentos também foram mortos pelos rebelados.

A Seap informou que ainda na madrugada desta segunda-feira (11) começaram as negociações, acompanhada por membros do Ministério Público de Goiás (MPGO) e pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Goiás), com o intuito de conter o ato. A situação foi controlada por volta das 9h desta segunda.

Fuga em Crixás

De acordo com o presidente da Aspego, a unidade prisional de Crixás também teve uma ocorrência registrada neste domingo (10), quando sete presos fugiram. jorimar informa que no local há apenas dois agentes para tomar conta de aproximadamente 60 detentos.

Até o momento, a Seap não se manifestou sobre este caso.