• Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
1.jpeg
Buscar
  • TV PONTUAL

Caiado rebate mentiras criadas por prefeito de Iporá


Em entrevista à Rádio Brasil Central, o governador esclareceu boatos sobre a retirada de serviços estaduais prestados ao município


O governador Ronaldo Caiado, falou aos ouvintes da região de Iporá, nesta sexta-feira (26/04), durante o programa Fala Goiás em Rede, transmitido pela Rádio Brasil Central (90,1 FM). Na ocasião, Caiado aproveitou para tranquilizar os iporaenses, negando inverdades alimentadas pelo prefeito Naçoitan Leite, acerca da retirada dos serviços do Governo do Estado, como Vapt Vupt e Detran, no município. “Podem ficar tranquilos porque os órgãos vão continuar funcionando. Disseram que terá uma mobilização na segunda-feira, porque o Estado iria retirar os órgãos que prestam serviços à comunidade de Iporá. Isso nunca existiu isso. Jamais, por parte do Governo será retirado qualquer serviço prestado a nenhuma cidade”, pontuou.

O governador também fez questão de esclarecer aos ouvintes o episódio acerca de uma empresa esmagadora de soja, de Iporá, que estaria sendo levada para São Luís de Montes Belos. “Isso foi feito no governo anterior que ele (Naçoitan Leite) apoiou, e conviveu com essa situação e nunca na vida alardeou”, explicou Caiado, ao pontuar que a ação foi realizada pelas gestões de Marconi Perillo e José Eliton. “Isso foi realizado pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (CODEGO), na época deles”, enfatizou.

Caiado relembrou o descaso do prefeito para a triste realidade do município que não recebia repasses há 13 meses. “Iporá, como todos os municípios, não receberam o dinheiro da Saúde, Merenda Escolar, e nem ajuda com o Transporte, que é verba específica, e foi retida pelo Estado. Em nenhuma dessas ocasiões ouvi a voz do prefeito”, frisou.

Durante entrevista, Caiado deixou claro que que trabalha pela melhor aplicabilidade do dinheiro público.

“Eu sei que essas viúvas do governo estão reclamando muito, mas nós vamos continuar trabalhando para melhorar a vida do cidadão. Eu não sou homem de fazer retaliação. Caso contrário, eu só iria atender os 14 municípios em Goiás, porque esse foi o saldo dos prefeitos que me apoiaram”, assinalou.