• Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Buscar
  • TV PONTUAL

Após compra da Netshoes, Magazine Luiza divulga balanço


Case de sucesso na integração entre o e-commerce e lojas físicas, Magazine Luíza divulga resultados com ações em patamar recorde


Magazine Luiza: Somente no último ano, a marca mais que dobrou seu lucro (Magazine Luiza/Divulgação)

Depois de confirmar a aquisição da Netshoes, o mercado passou a sorrir – ainda mais – para a varejista Magazine Luiza. As ações do Magazine Luiza operam em seu maior patamar na história após a varejista anunciar a compra do e-commerce de vestuário e artigos esportivos, e é em meio a esse clima de otimismo que o grupo divulga os resultados do primeiro trimestre de 2019 nesta segunda-feira, após o fechamento do mercado.

A compra da Netshoes, negócio fechado por 62 milhões de dólares, foi confirmada no último dia 29 de abril, e fez as ações subirem 7% já no dia seguinte. E os papéis não param de subir desde então. Na última sexta-feira, 3, a alta chegou a 10%, com a ação em preço recorde de 196 reais e valor de mercado em torno dos 37 bilhões. A concorrente B2W ー grupo que é dono das Lojas Americanas, Submarino e Shoptime ー, que também entrou na disputa pela aquisição da Netshoes, atualmente vale cerca de 17,4 bilhões de reais.

A boa vontade dos investidores em relação a aquisição se dá pela possibilidade de expandir o nicho de e-commerce do Magazine Luiza. A partir de agora, a varejista, hoje focada em eletrodomésticos e eletrônicos, poderá fortalecer sua posição no mercado online de vestuário, um setor estratégico no Brasil. Poderá também tentar concretizar um plano que já tinha anunciado, que é aumentar a frequência de compras de seus clientes, com a entrada em seu catálogo de produtos mais baratos que uma geladeira ou celular.

Mas para além da Netshoes, que não aparece nos resultados deste primeiro trimestre, os investidores têm ainda outros motivos para o otimismo com o balanço desta segunda-feira. O Magazine Luiza vem se mostrando um case de sucesso na integração entre as lojas físicas e as vendas online, passando por uma revolução comandada pelo herdeiro do grupo, Fred Trajano, que fez as ações subirem mais de 15.000% desde dezembro de 2015.

Somente no último ano, o Magazine Luiza mais que dobrou seu lucro, fechando 2018 com lucro de 597,4 milhões de reais, um avanço de 54% em relação aos 389 milhões de reais do ano anterior. Já no quarto trimestre de 2018, a marca manteve sua posição de destaque lucrando 189,6 milhões de reais, cifra 14,5% maior que no mesmo período do ano anterior.

Após a venda da Netshoes, as ações da Centauro, marca da rede varejista SBF e concorrente no e-commerce esportivo, chegaram a despencar cerca de 6%. Fazer a Netshoes faturar e crescer – após prejuízos seguidos desde que abriu capital nos Estados Unidos em 2017 – será um desafio e tanto. Mas o momento do Magazine Luiza é tão bom que pouca gente dúvida que os Trajano não consigam mais esse feito.