• Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
1.jpeg
Buscar
  • TV PONTUAL

Adolescente deve ser indenizada após ser atingida por moto em evento de motocross em Morrinhos

Estudante disse que foi contratada sem autorização dos pais. Organização disse que prestou assistência no local e Prefeitura informou que está atendendo ordem judicial.


Por Gabriela Guimarães, José Gervásio e Vanessa Martins, TV Anhanguera e G1 GO

04/06/2019 10h52 Atualizado há uma hora


A estudante Bruna Fernandes Silva, de 16 anos, teve um corte profundo na perna ao ser atingida por uma motocicleta durante uma corrida de motocross, em Morrinhos, no sul de Goiás. Segundo ela, o acidente aconteceu enquanto ela trabalhava de “bandeirinha” no evento, que a contratou sem autorização dos pais. Por causa do machucado, ela disse que precisou ficar quatro dias internada e a família contabiliza R$ 3,5 mil gastos com remédios e consultas.


A Prefeitura de Morrinhos disse que contratou a Federação Goiana de Motocross para realizar o evento e que vem obedecendo uma decisão da Justiça que bloqueou os R$ 28 mil que seriam pagos à organização pela realização da corrida. Segundo eles, a decisão determina que esse valor seja direcionado para a Bruna à medida que ela precisar.


A organização do evento disse que “todas as providências médicas foram cumpridas”. Segundo eles, foi dada assistência necessária “tanto na pista e posteriormente nas unidades hospitalares, onde há e haverá acompanhamento até o seu reestabelecimento”. Eles finalizam dizendo que “providências e questões jurídicas estão em andamento”.


O acidente aconteceu no último dia 18 de maio. Bruna mora com a mãe, Leandra Aparecida da Silva, em uma fazenda a 18 km da cidade e está ficando, desde então, na casa da irmã, na cidade, para poder ir às consultas e fazer o tratamento pedido pelos médicos. Por causa disso, ela não está podendo ir às aulas e mãe pediu licença na chácara onde trabalha para cuidar da filha.


“Tive que tirar dinheiro de onde não pude para pagar o hospital pra ela, medicação, comprar o que precisava. Está sendo muito difícil. [...]O que me deixou indignada foi a falta de consideração com a minha filha. Não me deram assistência nenhuma”, reclamou.


Bruna Fernandes da Silva, de 16 anos, e a mãe Leandra Aparecida da Silva após acidente em pista de motocross que deixou menina com corte profundo na perna em morrinhos Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera


Bruna disse que lembra que quis trabalhar no evento para fazer uma renda extra de R$ 240 pelos três dias de corrida – entre 17 e 19 de maio. Ao ser contratada, ela conta que só deu o nome e o CPF.

“[Pediram autorização dos pais?] Não, nenhuma. Só pediram pra gente levar o CPF que eles só escreveram lá e a gente assinou em baixo”, contou.