PONTUAL_NOTÍCIAS
LOGO_MARCA_GOIÁS_1
1
1
PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTALINA
4
2
ECOPLAST 2
LOGO
3
LOGO
3
1
18
ODONTOMEDY
  • Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Buscar
  • TV PONTUAL

Caiado anuncia promoção de 1.985 militares para 1ª classe, com salários de R$ 6,3 mil

Medida beneficia PMs que atuam na linha de frente contra criminalidade. Depois de extinguir 3ª classe de soldados, em março de 2019, governador vai promover, automaticamente, os que hoje estão na 2ª para a 1ª classe, já no mês de dezembro, sem necessidade do Teste de Aptidão Profissional (TAP). Cerca de 15% da tropa, em janeiro do ano passado, recebia apenas R$ 1,5 mil por mês, o pior salário do Brasil. Com nova promoção, passam a ganhar quatro vezes mais


Secretaria de Estado da Comunicação - Governo de Goiás


Depois de extinguir a 3ª classe de soldados, em março de 2019, o governador Ronaldo Caiado irá promover, automaticamente, os 1.985 militares, que hoje estão na 2ª classe da Polícia Militar do Estado de Goiás, para a 1ª classe, no mês de dezembro e sem a necessidade do Teste de Aptidão Profissional (TAP). Isso significa que cerca de 15% da tropa que, em janeiro de 2019, recebia salário de R$ 1,5 mil passou a ter rendimentos de R$ 5,7 mil e, com a nova mudança, receberá R$ 6,3 mil.


Com nova promoção, quase 2 mil PMs passam a ganhar quatro vezes mais. Todas as conquistas acontecem em menos de dois anos da gestão do governador Ronaldo Caiado. “Fizemos as progressões e toda uma política também para mostrar a importância de nossas forças policiais. Hoje, a segurança pública do Estado de Goiás é reconhecida e ocupa o primeiro lugar no país, conforme atesta o próprio ministro da Justiça, André Mendonça”, declarou Caiado durante live especial de aniversário, na última sexta-feira (25/09), transmitida por suas redes sociais.


Com as ações do governador Ronaldo Caiado, o tempo de promoção também foi reduzido. No rito tradicional, os militares chegariam à 1ª classe em cinco anos. Mas, desde que o governador assumiu, ele cumpriu o compromisso de acabar com a 3ª classe da PM e garantiu o reconhecimento da importância dessa categoria.


“Esses soldados são os que estão na linha de frente, que estão nas unidades operacionais. São da última turma. É muito bom tê-los motivados para dar o retorno que a sociedade tem vivenciado, que é uma redução histórica dos índices de criminalidade”, declara o comandante-geral da Polícia Militar do Estado de Goiás, coronel Renato Brum.


Histórico

A primeira medida do governador Ronaldo Caiado para beneficiar este grupo de militares foi extinguir o soldado de 3ª classe, cargo que havia sido criado em 2015, pela gestão anterior, mas que recebia o pior salário do país, cerca de R$ 1,5 mil por mês. A lei que acabou com essa classe dos agentes da Segurança Pública de Goiás foi sancionada em março do ano passado. A extinção era uma promessa de campanha de Caiado e foi aprovada pela Assembleia Legislativa (Alego).


Com a sanção do governador, deixaram de existir as 3ª classes de soldado no Corpo de Bombeiros, Administração Penitenciária, Polícia Militar e Polícia Civil. Essa foi apenas uma das medidas tomadas pelo Governo do Estado para proporcionar dignidade e reconhecimento aos profissionais que atuam para reduzir os índices de criminalidade em Goiás.


Em julho deste ano, o governador anunciou que 3.155 integrantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros iriam receber as promoções. Os valores começaram a ser pagos no último mês de agosto. O pagamento da concessão de promoção aos militares vai gerar um impacto de cerca de R$ 66 milhões anuais na folha dos servidores públicos.


O reconhecimento do trabalho das forças policiais pelo Governo de Goiás gera resultados nas ruas. As estatísticas apontam queda nos índices de criminalidade. A redução foi alcançada graças a uma nova metodologia de trabalho adotada, amparada no tripé integração, inteligência e integridade.


Para Caiado, as forças policiais representam o sustentáculo do governo. “Isso é resultado da eficiência e presença de nossas polícias. É gratificante estar à frente de uma gestão em que as polícias correspondem às expectativas daquela que é a segunda principal demanda da população: segurança pública e combate à criminalidade”, celebrou.