• Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Buscar
  • TV PONTUAL

Decisão do STF desmente bancada marconista e atesta rombo deixado por gestão passada

Agora não tem mais jeito: STF coloca ponto final na conversinha de deputados da oposição na Alego, que só sabem criticar


GOIÁS 360 - [22/06/2019]   [00h00]

Qual será o discurso agora da oposição marconista na Assembleia Legislativa (Alego) para falar que inexiste dívida deixada pelos ex-governadores Marconi Perillo e José Eliton? 


O Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu na quinta-feira, 20, que Goiás enfrenta situação de calamidade financeira, cuja gênese é o governo Marconi, que ficou no poder por duas décadas.

Acabou: agora é a corte suprema que coloca fim ao debate. 


Goiás terá direito de  participar do Regime de Recuperação Fiscal (RRF), o que acaba com a lorota da bancada marconista que tenta, de todo jeito, inviabilizar a gestão Caiado.


O mesmo grupo que vendeu a Celg (maior patrimônio dos goianos), que criou o maior estelionato eleitoral do Brasil (o programa Goiás na Frente), que deixou uma folha de salários atrasada, que legou para Goiás uma dívida nacional de R$ 21 bilhões, agora vai falar o que?  


A nota do Governo de Goiás é sóbria e séria.  Indica que os goianos passarão por momentos de contrição, mas que em breve será o exemplo que há tempos só aparecia na "propaganda de governo". 


"No início da próxima semana a Secretaria da Economia entrará em contato com a Secretaria do Tesouro Nacional, em Brasília, para saber as implicações da liminar. A decisão impõe que o Estado tenha que calcular as despesas de pessoal pelo critério da STN. Segundo a lei 159, o Estado de Goiás (que inclui todos os seus Poderes) terá que ajustar as despesas com pessoal em dois quadrimestres".