• Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Buscar
  • TV PONTUAL

EXCLUSIVO: Oeste revela salários de Lula, Gilberto Carvalho e Vaccari

Ex-presidente começou a ser remunerado com recursos do fundo partidário a partir deste ano. Ele, sozinho, recebe R$ 20,4 mil


Por: Revista Oeste / Wilson Lima


Lula passou a receber do PT em 2020 | Foto: Amanda Perobelli/Estadão Conteúdo


Prestação parcial de contas do PT apresentada ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revela que o ex-presidente e ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva começou a receber, desde janeiro, salário de R$ 20,4 mil com dinheiro do fundo partidário. Trata-se, portanto, de recurso público destinado a um condenado na Lava Jato que está solto por força de decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).


Além de Lula, o PT também paga, com dinheiro do mesmo fundo, o sustento de outros integrantes do partido enrolados com a Justiça: o ex-ministro Gilberto Carvalho (réu na Operação Zelotes) e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Netto (também condenado na Lava Jato). Carvalho recebe R$ 14,7 mil do partido por mês. Vaccari recebeu R$ 66 mil desde o fim do ano passado a título de “verbas indenizatórias”.


Em junho do ano passado, o juiz titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, Luiz Antonio Bonat, atendeu a pedido do Ministério Público Federal e determinou o bloqueio de R$ 77,9 milhões em bens do ex-presidente. Como Lula está com os bens bloqueados, o PT resolveu contratá-lo para atividades de “consultoria política” ao partido. Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá.


Segundo a prestação de contas do PT ao TSE, Lula já recebeu duas parcelas: uma em 30 de janeiro e a outra em 3 de março — esta, referente aos “honorários” de fevereiro. O vencimento de março ainda não foi registrado nos sistemas de prestação de contas da Justiça Eleitoral. Até então, o partido evitava falar sobre o salário de Lula. Durante o ano de 2020, o PT já gastou R$ 17,9 milhões dos recursos do fundo partidário.


Lula já recebeu salários de janeiro e fevereiro.



Salário de Lula


Essa não é a primeira vez que o PT banca o salário do ex-presidiário. Antes de ser eleito em 2002, Lula era sustentado com recursos do partido. Após ser preso, em abril de 2018, ele passou a queixar-se a aliados de problemas financeiros. A empresa Lils Palestras, que pertence a Lula, é responsável por pagar boa parte da defesa do ex-presidente nos processos da Lava Jato. Lula também efetuava saques regulares.


O PT, com recursos do fundo partidário, também vem ajudando o petista a bancar alguns custos operacionais de sua defesa. Ao todo, estima-se que a defesa de Lula nos processos da Lava Jato tenha custado até R$ 5 milhões.


Acusados e bem remunerados


Alvo de uma ação penal sob a acusação de ter articulado a aprovação de medidas provisórias após pagamento de propina, o ex-ministro e ex-chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, também aparece na folha de pagamento do PT. Seu salário durante o ano de 2020 é de R$ 14,7 mil. Mas, no caso do ex-ministro da Secretaria de Governo, o partido ainda bancou neste ano outras despesas, como lanches e ressarcimento por material de escritório. No início de 2020, Carvalho ainda se beneficiou do residual de seu décimo terceiro salário: R$ 10,9 mil. Somando tudo isso, Gilberto já embolsou R$ 41,1 mil.



O ex-ministro é acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) do Distrito Federal de ter cobrado propina de empresas do setor automobilístico para aprovar medidas provisórias que beneficiaram montadoras. Segundo a denúncia do MPF fruto da Operação Zelotes, os participantes do esquema prometeram R$ 6 milhões para Lula e Carvalho. O dinheiro, conforme o MPF, foi usado para bancar campanhas eleitorais do PT.


Já o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto recebeu no fim do ano passado R$ 66 mil do partido por meio de três parcelas a título de “rescisão de contrato”. Uma de R$ 44 mil em novembro e as outras duas de R$ 11 mil —  ambas quitadas no último dia de dezembro. Um belo presente de ano novo.



Um detalhe sobre essa rescisão chama atenção. Vaccari foi preso em 2015 e ficou os anos seguintes sem trabalhar no partido. Tanto que em 2018 não há registros de pagamentos para ele como funcionário do PT.  Mesmo assim, após ter sido solto, o ex-tesoureiro recebeu essas verbas indenizatórias trabalhistas.


Preso pela Operação Lava Jato, o ex-tesoureiro do PT deixou a cadeia em setembro do ano passado, depois de ter sido beneficiado por um indulto natalino. Inicialmente condenado a 45 anos e 6 meses de prisão pela Justiça Federal do Paraná, em cinco ações penais da Lava Jato, Vaccari conseguiu reduzir sua pena em 24 anos e obteve o benefício do regime semiaberto.