PONTUAL_NOTÍCIAS
LOGO_MARCA_GOIÁS_1
1
3
LOGO
1
  • Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Buscar
  • TV PONTUAL

Preços do petróleo ficam em menor nível neste século devido à crise do coronavírus

Atualizado: 23 de Abr de 2020

LONDRES (Reuters) - Os preços do petróleo chegaram a desabar para menos de 16 dólares por barril nesta quarta-feira, tocando o menor nível desde 1999, com o mercado inundado por excesso de oferta como resultado das consequências econômicas do coronavírus, que destruiu a demanda por combustíveis.


Por: Reuters / Alex Lawler 22 DE ABRIL DE 2020 / ÀS 08:53 / HÁ UMA HORA


Funcionário detém amostra de petróleo em campo da Rússia 11/03/2019 REUTERS / Vasily Fedosenko


A sobreoferta tem crescido desde que a Opep+, liderada por Arábia Saudita e Rússia, falhou em prorrogar cortes de produção no mês passado. A Opep+ chegou a um acordo para novos cortes neste mês, mas medidas de isolamento de governos para conter a pandemia cortaram ainda mais a demanda.


O petróleo Brent recuava 0,05 dólar, ou 0,26%, a 19,28 dólares por barril, às 8:48 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía 0,61 dólar, ou 5,27%, a 10,96 dólares por barril.


Mais cedo, o Brent tocou 15,98 dólares por barril, menor nível desde junho de 1999. Na véspera, ele havia perdido 24%.


“O mercado de petróleo está profundamente encrencado e é pouco provável que saia desse mal-estar no curto prazo”, disse Stephen Brennock, da corretora PVM. “A demanda está baixa, a oferta está elevada e os estoques estão cheios.”


O mercado de petróleo passou nesta semana por alguns dos momentos mais selvagens da história das negociações— o contrato mais próximo do vencimento nos EUA caiu para território negativo pela primeira vez em todos os tempos na segunda-feira.


“Estejam preparados para mais surpresas nesse mercado quebrado do petróleo”, disse o chefe de mercados de petróleo da Rystad Energy, Bjornar Tonhaugen.


O Brent chegou agora a níveis tão baixos quanto vistos quando a Opep também lutava contra um excesso no mercado e havia preocupação entre empresas e consumidores— na época dos temores relacionados ao “bug do milênio”, que poderia afetar computadores na virada do século.