• Facebook Basic Square
  • LinkedIn Social Icon
  • Twitter Basic Square
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
1.jpeg
Buscar
  • TV PONTUAL

Secretário executivo da infraestrutura realiza visitas técnicas no estado do Maranhão

Terminal Marítimo de Ponta da Madeira foi o primeiro compromisso da agenda de Marcelo Sampaio


Por: Assessoria Especial de Comunicação Ministério da Infraestrutura


O secretário executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, viajou, nesta quarta-feira (23), ao estado do Maranhão para participar da cerimônia de desativação e entrega do edifício sede da CODOMAR (Companhia Docas do Maranhão), que aconteceu nesta quinta-feira (24). Durante a viagem, ele também realizou visita técnica ao Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, ao Porto do Itaqui e às instalações do Centro de Lançamento de Alcântara.


A primeira visita de Sampaio foi ao Terminal Marítimo de Ponta da Madeira, porto privado pertencente à Companhia Vale, adjacente ao Porto de Itaqui, e próximo à cidade de São Luís. O porto destina-se principalmente à exportação de minério de ferro. Em 2018, o terminal movimentou 198 milhões de toneladas, equivalente a 48% de todo minério exportado e 17% de toda a carga portuária do país. Para 2019, a expectativa é movimentar cerca de 208 milhões de toneladas.



“Nós tivemos a oportunidade de conhecer todo o centro de operação do terminal, como é feito o controle e a conexão do modal ferroviário com o modal portuário”, explicou Sampaio. “A gente tem uma das ferrovias mais eficientes do planeta e consegue entregar minério competitivo do outro lado do mundo, na China. Esse é o Brasil que dá certo e o que nós desejamos pra todo o território nacional”, disse ao se referir à Estrada de Ferro Carajás, que faz conexão com o terminal.


Codomar


Nesta quinta-feira, o secretário executivo participou da cerimônia de desativação e entrega do edifício sede da CODOMAR. A liquidação da Companhia Docas do Maranhão é regida pelo Decreto n° 2.965, de 10 de janeiro de 2018. Os trabalhos estão sendo conduzidos pela Secretaria de Fomento, Planejamento e Parcerias do ministério e foram divididos em metas que se estendem até 2020.


“O presidente Jair Bolsonaro colocou como missão para o governo federal desburocratizar, desregulamentar e modernizar o estado brasileiro. E nós vimos aqui na Emap (Empresa Maranhense de Administração Portuária), que é a autoridade portuária local, nos terminais privados e em todo o complexo do porto, o potencial de crescimento nos próximos anos. Hoje é um dia importante porque mostra que a nossa disciplina e o método que o Ministério da Infraestrutura tem empregado desde janeiro têm gerado resultado”, disse.


Sampaio também visitou o Porto de Itaqui, que se destaca pelo transporte de minério de ferro ­– 80,9% da movimentação em 2016. Bauxita, soja, alumina, derivados de petróleo e fertilizantes também integram a lista de produtos transportados pelo complexo. A infraestrutura de Itaqui permite a movimentação, visto que o porto dispõe de sete berços que, somados, totalizam quase 2 km de cais acostável. O porto possui, ainda, armazéns de lona, armazéns de granéis vegetais, silos e tanques.


“O porto é o terceiro maior do país em movimentação de grãos e é o principal do Arco-Norte. A exportação desse ano já foi 20% maior que o ano passado e isso mostra a reação da nossa economia. Nosso papel é prover a infraestrutura adequada para que o Brasil continue crescendo”, disse ao conhecer o fluxo de exportação dos produtos brasileiros para a China.


Centro de Lançamento de Alcântara


A última visita de Marcelo Sampaio ocorre na sexta-feira (25) no Centro de Lançamento de Alcântara - segunda base de lançamento de foguetes da Força Aérea Brasileira (FAB). O centro está situado no município de Alcântara, a 32 km de São Luís, numa área de 62.000 hectares pertencente à União.


A base possui infraestrutura aeroportuária e acesso rodoviário. Também há acessos marítimos pelo Porto do Cujupe e embarque por meio de Ferry Boat. O Ministério da Infraestrutura é tido como parceiro estratégico na ampliação do centro, uma vez que melhorias na infraestrutura de transporte, tanto no aeroporto quanto nos acesso portuários, são necessárias.